CONCENTRAÇÕES DE FIBRINOGÊNIO PLASMÁTICO, FOSFATASE ALCALINA SÉRICA E DO FIBRINOGÊNIO E FOSFATASE ALCALINA NO FLUIDO PERITONEAL DE EQUINOS SUBMETIDOS À ENTERORRAFIAS APOSICIONAL E INVAGINANTE NO CÓLON DESCENDENTE

Paula Pimentel Valente

Resumo


Neste ensaio foram monitoradas as concentrações do fibrinogênio plasmático e da fosfatase alcalina sérica e do fibrinogênio e fosfatase alcalina no fluido peritoneal (FP), nos períodos pré e pós operatórios, de equinos submetidos a enterorrafias invaginante (Grupo I) e aposicional (Grupo II) no cólon descendente. Foram utilizados 14 eqüinos adultos, sem raça definida, hígidos e com idade entre cinco e oito anos, submetidos à laparotomia de flanco esquerdo. Foram colhidas amostras de sangue e de fluido peritoneal nos períodos pré-jejum (-24 horas), pré-cirúrgico (0h) e às 6, 12, 18, 24, 48, 72, 96, 168, 336, 504, 672, 840, 1008 e 1176 horas de pós-operatório (p.o.) e realizadas as mensurações da concentração de fibrinogênio e da atividade da fosfatase alcalina. Nos dois grupos de equinos submetidos a enterotomias do cólon descendente foi possível evidenciar que as alterações nos parâmetros de fibrinogênio e atividade da fosfatase alcalina são mensuradas mais precocemente no fluido peritoneal do que no sangue circulante.

Palavras-chave


Eqüinos. Fibrinogênio. Fosfatase alcalina. Cólon descendente

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/na.v1i2.321