EFEITO DA FREQUÊNCIA ALIMENTAR SOBRE O CRESCIMENTO E A COMPOSIÇÃO ISOTÓPICA (δ13C e δ 15N) DE JUVENIS DE PACU PIARACTUS MESOPOTAMICUS

Mário Sérgio de Rezende Fiod, Carlos Ducatti, Marina Calil Cabral, Regiane Batista Gonçalves Teixeira, Eduardo Gianini Abimorad, Rosangela Kiyoko Jomori

Resumo


O objetivo do trabalho foi avaliar o efeito da freqüência alimentar sobre o crescimento e a composição isotópica de juvenis de pacu Piaractus mesopotamicus mantidos sob três freqüências de alimentação: 1, 2 e 3 vezes ao dia. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições, por um período de 40 dias. Os juvenis (n= 10 para cada repetição) foram estocados em unidades experimentais contendo 40 L de água cada, em sistema de recirculação da água. Após 40 dias de alimentação, observou-se que os animais alimentados 2 e 3 vezes ao dia apresentaram crescimento semelhante e superior ao dos animais alimentados 1 vez ao dia. A taxa de crescimento específico foi de 2,49; 3,15; 3,34%/ dia, e a taxa de conversão alimentar não apresentou diferença estatística entre os tratamentos variando de, 0,71 a 0,73. A freqüência alimentar de 2 vezes ao dia pode ser indicada no manejo alimentar de juvenis de pacu, em fase inicial do crescimento; e a composição isotópica dos tecidos correlacionaram com os resultados de crescimento e, entre os tecidos analisados, o fígado foi metabolicamente mais ativo que o músculo.

Palavras-chave


Zootecnia; Nutrição e Alimentação; Aquicultura

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/na.v2i2.466