AVALIATION OF VENTILATORY PATTERN IN THE TOAD RHINELLA SCHNEIDERI (ANURA: BUFONIDAE)

Marcelo Santos Fernandes

Resumo


Os anfíbios ventilam seus pulmões por meio de bombeamento bucal, mecanismo que foi primeiramente descrito 1969 como um modelo para a respiração de anuros. Como os anfíbios não possuem alvéolos em seus pulmões, foi calculado para o sapo Rhinella schneideri a ventilação equivalente do pulmão por meio da equação VEFF = (VLCO2•RT)/PLCO2. Analisamos as pressões bucais e pulmonares, os volumes respiratórios, ventilação pulmonar e bucal, e frequências de ventilação. [VE (12,1 ± 0,6 ml BTPS.min-1.kg-1); VEB (164,3 ± 2,2 ml BTPS.min-1.kg-1); fR (5,8 ± 0,4 min -1); Freqüência bucal (68,5 ± 1,6 min-1); volume corrente(VT = 2,4 BTPS ml • kg-1)]. A baixa extração de oxigênio (17,3% ± 2,8) foi utilizada para explicar a alta freqüência da ventilação pulmonar e bucal.

Palavras-chave


Biologia;Zoologia;Herpetologia;Fisiologia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/na.v2i2.468