AVALIAÇÃO ESPERMÁTICA E DOSAGEM SÉRICA DE CORTISOL EM DOIS SUÍNOS EM DIFERENTES PERÍODOS DO DIA

Luciano Augusto F. Coelho, Elzylene Léga, José Reinado Martins, Paulo de Almeida Marques, Ana Luiza Garcia Silveira, Matheus de Castro Menezes

Resumo


A suinocultura é um importante setor da pecuária nacional, apresentando um dos melhores desempenhos econômicos no cenário internacional, o qual se deve aos avanços tecnológicos e organizacionais. Dentre esses avanços, a inseminação artificial (IA) é uma biotécnica aplicada à reprodução de suínos. No entanto, para que haja sucesso na implantação de programas de IA, outros aspectos devem ser considerados tais como estado nutricional, manejo sanitário e qualidade do sêmen, essa última refletindo ainda na qualidade genética e produtiva do plantel, daí a importância de se avaliar o sêmen utilizado. Assim, o presente trabalho teve o intuito de avaliar a qualidade do sêmen e dosagem sérica de cortisol de dois reprodutores suínos em diferentes períodos do dia, e relacionar os achados com o conforto térmico e bem-estar animal. Os resultados obtidos no presente trabalho mostram, que a temperatura ambiente não comprometeu a fertilidade dos animais; que os animais apresentaram melhores resultados sob temperatura de 26˚C o que sugere melhor conforto térmico e bem-estar, quando a dosagem de cortisol foi menor.

Palavras-chave


Suínos. Sêmen. Cortisol

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/na.v3i1.480