DOENÇA DO TRATO URINÁRIO EM GATOS (Felis catus domesticus, LINNAEUS, 1758) ATENDIDOS EM CLÍNICAS VETERINÁRIAS DA REGIÃO DE RIBEIRÃO PRETO-SP

Letícia Neves, Marly Cristina Wanderley, Josiane Pazzini

Resumo


O presente estudo teve como objetivos avaliar as afecções e os principais sinais clínicos em felinos domésticos com doença primária ou secundária do trato urinário (DTU) e comparar os sintomas apresentados pelos animais com ou sem obstrução do trato urinário. Foram analisadas 49 fichas de pacientes felinos atendidos em 2 clínicas e 1 hospital veterinário, na região de Ribeirão Preto, SP. Os animais foram separados em grupos de acordo com a existência ou não de obstrução do fluxo urinário e se apresentavam sinais clínicos referentes ao trato urinário secundários a outras doenças. O grupo G1 (animais obstruídos) foi ainda subdividido em confirmados e suspeitos, o G2 (não obstruídos) em confirmados, altamente suspeitos e suspeitos e o G3 foi constituído por felinos com manifestações do trato urinário secundárias à outras afecções. A doença do trato urinário (DTU) foi verificada em 28 (57%) machos e 21 fêmeas (43%). O G1 representou 39% das amostras (19 animais), o G2, 47% (23 animais) e o G3, 14% (7 animais). Os sinais clínicos que diferiram entre os grupos G1 e G2 foram: oligúria, bexiga repleta / iscúria, poliúria, presença de plugs e urólitos no G1; piúria, sensibilidade na região renal, aumento de volume abdominal, icterícia, dificuldade de locomoção, gengivite e queda de pêlos no G2.

Palavras-chave


Doença do trato urinário; Felino; Sinais clínicos; Síndrome urológica felina;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/na.v3i1.571