ENXERTIA CUTÂNEA EM PEQUENOS ANIMAIS

Larissa Correa Hermeto, Rafael DeRossi

Resumo


A enxertia cutânea se caracteriza pelo transplante de um segmento de epiderme e derme sem comunicação com o local de origem, o que a diferencia dos retalhos e flapes cutâneos. É uma excelente opção para recobrimento de lesões extensas em que existe a impossibilidade de recobrir o defeito com retalhos ou por aproximação. As diferentes técnicas cirúrgicas existentes oferecem ao cirurgião possibilidades para se obter sucesso em lesões extensas em que existem tensão e ausência de tecido suficiente para o fechamento. Para que este sucesso seja alcançado cuidados com a coleta do enxerto, preparo correto do leito receptor, cuidados pós operatórios devem ser minimamente seguidos para que a completa revascularização do enxerto seja alcançada.

Palavras-chave


enxertos de pele, cães e gatos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/na.v4i1.628