HISTOLOGIA DO INTESTINO DE TILÁPIA DO NILO ALIMENTADOS COM DIETAS CONTENDO DIFERENTES FONTES DE PROTEÍNA.

Claucia Aparecida Honorato, Marcelo Assano, Claudinei da Cruz, Dalton José Carneiro, Márcia Rita Fernandes Machado

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a histologia e a histoquímica do intestino anterior de tilápia do Nilo alimentadas com dietas contendo farinha de peixe ou silagem de peixe como fonte de proteína de origem animal. A espessura da vilosidade intestinal dos peixes alimentados com silagem fermentada de resíduo de tilápia foi influenciada pelos teores protéicos, independente das proporções de proteína de origem animal das dietas. Observou-se que a variação da intensidade de secreção de glicoproteínas pelas células caliciformes está diretamente ligada com o tipo de dieta fornecida aos animais. O intestino médio de O. niloticus apresentou diferenças no padrão de secreção de muco glicoproteíco neutro, glicoproteínas ácidas e glicoconjugados, dependendo da origem da proteína e da porcentagem utilizada na dieta, demonstrando que esta espécie pode adaptar seu sistema de secreção para a proteção do aparelho digestório durante a absorção diferentes fontes protéicas.

Palavras-chave


Oreochromis niloticus. Histologia do intestino. Silagem de peixe.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738//1982.2278.771