EFEITO DE DIFERENTES INTENSIDADES DE LUZ SOBRE A RESPOSTA AO ESTRESSE, CRESCIMENTO E ÍNDICE REPRODUTIVO EM FÊMEAS DE LAMBARI (Astyanax bimaculatus)

Fernanda Keley Silva Pereira Navarro, Rodrigo Diana Navarro, Luis David Solis Murgas

Resumo


Este trabalho teve como objetivo verificar o efeito de diferentes intensidades de luz sobre a resposta ao estresse, crescimento e maturação ovariana em fêmeas de lambari (Astyanax bimaculatus). Vinte juvenis de lambari foram mantidos em aquários de 20L cada um, em delineamento inteiramente ao acaso, com intensidade luminosa de 1173lux, provida de uma lâmpada fluorescente. Outras 20 fêmeas de lambaris foram distribuídas em uma apa situada em um tanque retangular de alvenaria, com intensidade de luz natural de 890lux. Após 40 dias de experimento os peixes, mantidos a jejum de 24 horas, foram previamente anestesiados com benzocaína. Dados de peso final, peso da gônada, comprimento total e índice gonadossomático foram mensurados. Amostras de sangue, através de punção caudal, foram coletadas para as dosagens de glicose e cortisol. Em relação aos resultados, não foram observadas diferenças significativas para níveis plasmáticos de cortisol e glicose entre os tratamentos, porém a taxa de sobrevivência do tratamento com 1173lux foi significativamente menor em relação ao tratamento com 890lux. Os peixes do tratamento com 890lux de intensidade luminosa apresentaram, significativamente, maior peso final, maior peso de gônada e maior IGS em relação ao tratamento de 1173lux. Para comprimento total, não foi observado diferença significativa. Os resultados obtidos neste estudo permitem concluir que a intensidade de luz desempenha um importante papel no bem-estar e na maturação ovariana de fêmeas de lambaris.

Palavras-chave


lambari, intensidade de luz, estresse, Índice gonadossomático

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/na.v5i1.827