SELETIVIDADE DA ASSOCIAÇÃO DOS HERBICIDAS IMAZAPIC E IMAZAPYR APLICADA EM DIFERENTES ESTÁDIOS DE DESENVOLVIMENTO DA CANA-DE-AÇÚCAR

Flavio Eduardo Botelhos Obara, Caio Augusto Castro Grossi Brunharo, Marcel Sereguin Cabral de Melo, Marcelo Nicolai, Pedro Jacob Christoffoleti

Resumo


Três experimentos foram conduzidos com o intuito de avaliar a seletividade da associação dos herbicidas imazapic + imazapyr. As associações foram também testadas em mistura com outros herbicidas comumente utilizados na cultura. Todos os tratamentos foram testados em pré-emergência, pós-emergência inicial e pós tardia da cana-de-açúcar. A variedade utilizada foi CTC 14 de segundo corte sobre solo arenoso em Santa Bárbara D´oeste – SP. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso no esquema de faixas, sendo que em uma direção de aplicação, as faixas foram constituídas de quatro doses da associação de imazapic + imazapyr, 0 + 0, 80,25 + 26,25, 120 + 40 e 133,75 + 43,75 g ha-1, e na outra direção a aplicação no mesmo dia dos herbicidas ametrina (2400 g ha-1), clomazone (1200 g ha-1), hexazinone (225 g ha-1), isoxaflutole (75 g ha-1), metribuzin (1440 g ha-1), tebuthiuron (750 g ha-1) e testemunha sem aplicação. Foram realizadas avaliações mensais e colheita das parcelas aos 150 DAT. A seletividade da associação de imazapic + imazapyr foi observada quando aplicada na dose de 80,25 + 26,25 g ha-1, na modalidade de pré-emergência, como também quando associada ao tebuthiuron, metribuzin e clomazone. Na aplicação em pós-emergência inicial a seletividade foi constatada pela aplicação de 80,25 + 26,25 g de imazapic + imazapyr ha-1, como pela associação desta dose com os herbicidas isoxaflutole e clomazone, dado que a aplicação em pós-emergência tardia se mostrou totalmente não seletiva para qualquer uso das associações dos herbicidas imazapic + imazapyr.

Palavras-chave


Saccharum spp.; fitotoxidade; associação tripla

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/1982.2278.1104