FORMAS DE ADUBAÇÃO DO SORGO GRANÍFERO EM SEMEADURA TARDIA

João Paulo Ascari, Esdras Da Silva Santos, Inês Roeder Nogueira Mendes, Leonardo Diogo Ehle Dias, Miriam Hiroko Inoue, Kássio De Marco

Resumo


A cultura do sorgo é cultivada no Brasil no período de segunda safra, onde sua produção é destinada à produção de grãos para fabricação de rações e concentrados, destinando-se também à produção de etanol e silagens, substituindo o milho em muitos casos. Com isso, a busca por aumento de produtividade torna-se fundamental, neste âmbito as formas de adubação são de grande importância. Desta forma, o objetivo do trabalho foi avaliar a eficiência de diferentes formas de adubação na cultura do sorgo granífero em semeadura tardia e a existência de correlação entre as variáveis analisadas. O experimento foi realizado no município de Tangará da Serra-MT, utilizando a cultivar Embrapa BRS 332. O ensaio foi constituído de quatro tratamentos referentes a formas de adubação do formulado NPK 26-28-08 e quatro repetições dispostos em um delineamento de blocos ao acaso, sendo: sem adubação (0 Kg ha-1), adubação na linha de plantio (350 Kg ha-1), adubação na linha (250 Kg ha-1) + adubação em cobertura (100 Kg ha-1) e adubação em cobertura (350 Kg ha-1). O estande final foi composto por 15 plantas por metro linear. Para a colheita foram selecionadas de forma aleatória 10 plantas da área útil para a trilha e posteriormente serem secas em estufa. As maiores produtividades foram obtidas com a adubação de 350 Kg ha-1 de formulado na linha de plantio e na adubação de 250 Kg ha-1 na linha de plantio mais 100 Kg ha-1 em cobertura, sendo 2.589,75 Kg ha-1 e 3.607,15 Kg ha-1, respectivamente.

Palavras-chave


Sorghum bicolor L. Moench; Adubação de cobertura; Absorção de nutrientes; Correlação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/1982.2278.1166