ALTERNATIVAS DE REMEDIAÇÃO E DESCONTAMINAÇÃO DE SOLOS: BIORREMEDIAÇÃO E FITORREMEDIAÇÃO

PABLO WENDERSON RIBEIRO Coutinho, DANIELLE ACCO Cadorin, LORENA MAIA Noreto, AFFONSO CELSO Gonçalves Jr

Resumo


Esta revisão demonstra os principais mecanismos de remediação de solos contaminados envolvidos pela biorremediação e pela fitorremediação e aborda fatores determinantes para o sucesso das mesmas. A biorremediação consiste no uso de microrganismos capazes de transformar contaminantes em substâncias menos tóxicas, e pode ocorrer tanto in situ, quanto ex situ. Para que o processo de biorremediação ocorra de forma eficiente, os microrganismos devem estar presentes em grandes quantidades e possuir habilidade de degradação do composto. A fitorremediação é um método de descontaminação in situ que envolve mecanismos como a fitoextração, fitotransformação, fitoestimulação e fitoestabilização. O sucesso da fitorremediação depende de plantas que possuam determinadas características, entre as quais, boa capacidade de absorção, sistema radicular profundo, acelerada taxa de crescimento, facilidade de colheita e ampla resistência ao poluente. Biorremediação de fitorremediação têm sido estudadas nas condições brasileiras e têm mostrado grande potencial, visto que o Brasil é um país com enorme diversidade, o que amplia as possibilidades de utilização das mesmas.

Palavras-chave


contaminação; metais pesados; microrganismos; plantas remediadoras.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/1982.2278.1400