FONTES DE FÓSFORO NO CRESCIMENTO INICIAL DE JATOBÁ-DO-CERRADO

JOSÉ DARLON NASCIMENTO ALVES, FRANCISCO CARLOS ALMEIDA DE SOUZA, MORIELI LADISLAU DE OLIVEIRA, MAYARA CRISTINA MATOS DE ALMEIDA OLIVEIRA, RICARDO SHIGUERU OKUMURA

Resumo


Este trabalho teve por objetivo avaliar a influência das fontes de fósforo no crescimento inicial de mudas de jatobá do cerrado nas condições edafoclimáticas do município de Capitão Poço. O delineamento experimental adotado foi inteiramente casualizado (DIC), em esquema fatorial 2x2, correspondendo à ausência e presença de P2O5 (0 e 30 g planta-1) e duas fontes de fósforo a Super Simples (18% de P2O5) e Super Triplo (44% de P2O5), com 5 repetições. Foram realizadas avaliações a cada 30 dias após a emergência (DAE), mensurando as seguintes variáveis biométricas: altura de planta (AP); número de folhas (NF) e diâmetro do caule (DC). Aos 120 dias foi avaliada a produção de matéria seca. Os dados experimentais foram submetidos à análise de variância e as médias foram comparadas pelo teste F (p < 0,05). Observou-se que aos 30 dias houve respostas significativas na presença de P2O5 na variável AP com a utilização do STF (22,87 cm planta-1), enquanto para o NF e DC ambos os fertilizantes apresentaram efeitos positivos, exceto na presença de SFT o qual a variável DC mostrou resultado inferior (0,36 cm planta-1) quando comparada com as demais. Aos 60 dias tanto na ausência como na presença de P2O5 houve diferença significativa em todas as variáveis. Para MSPA foi verificado que na ausência e presença de P2O5 não houve diferença significativa entre as fontes, enquanto à MSR obteve-se melhor resultado na ausência da fonte SFS. A presença de fósforo influenciou positivamente o desenvolvimento das mudas de jatobá-do-cerrado.

Palavras-chave


adubação mineral, fertilizantes fosfatados Hymenaea stigonocarpa Mart., produção de mudas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/1982.2278.1460