ALTERAÇÕES FÍSICAS EM GRÃOS DE GIRASSOL APÓS SECAGEM COM DIFERENTES TEMPERATURAS DO AR

Paulo Carteri Coradi, Jean Carlos Helmich, Carlos Henrique Portela Fernandes

Resumo


O conhecimento das propriedades físicas dos grãos é importante para otimização das operações de pós-colheita. Este trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos da secagem convectiva com diferentes temperaturas do ar (45, 55, 65 e 75 °C) nas propriedades físicas de grãos de girassol. A secagem dos grãos de girassol foi realizada em estufa de convecção com ar forçado. Nas condições naturais, amostras de 5 kg de grãos foram utilizadas para cada repetição de secagem. Durante o processo de secagem, as amostras de grãos foram pesadas, periodicamente até atingirem 10% (b.u.), em seguida foram submetidos às avaliações das propriedades físicas. As temperaturas do ar de secagem alteraram as propriedades físicas dos grãos de girassol. O comprimento, a espessura, a área projetada, o volume, o peso de mil grãos, o ângulo de repouso dos grãos de girassol sofreram alterações, com o aumento da temperatura do ar de secagem. A porosidade, a massa específica aparente, o peso de mil grãos, o coeficiente de arraste, a circularidade, a esfericidade e a largura dos grãos de girassol não sofreram alterações com o aumento da temperatura do ar de secagem. As alterações das propriedades físicas dos grãos de girassol em função da temperatura do ar de secagem afeta o funcionamento dos equipamentos utilizados na sequencia do processo de pós-colheita e para minimizar estes efeitos, torna-se necessário à padronização das temperaturas para todos os lotes de grãos.

Palavras-chave


Dimensionamento; Pós-Colheita; Qualidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/1982.2278.1502