DIVERSIDADE DE MACROLEPIDOPTERA NOTURNOS EM DUAS FITOFISIONOMIAS DE CERRADO NO BRASIL CENTRAL

Charles Martins de Oliveira, Marina Regina Frizzas, Amabílio José Aires de Camargo, Débora Arruda Ferreira Cangerana

Resumo


Este trabalho objetivou estudar a diversidade de macrolepidoptera noturnos em duas fitofisionomias de Cerrado no Distrito Federal (Brasil) e verificar se a separação entre macrolepidoptera e microlepidoptera concorre para diferenças na sazonalidade e na abundância de cada grupo. O estudo foi realizado nas fitofisionomias cerrado sensu stricto e cerradão na Embrapa Cerrados (Planaltina/DF – Brasil). Foram realizadas coletas quinzenais, entre agosto/2005 e julho/2006, por meio de armadilhas luminosas. Para o estudo da comunidade de macrolepidoptera foram calculados os índices de diversidade (Margalef e Shannon-Wiener), equitabilidade (E), similaridade (Sorensen) e índices faunísticos. Coletou-se 1.034 espécimes e 134 morfoespécies de macrolepidoptera, sendo 630 espécimes e 89 morfoespécies no Cerrado sensu stricto e 404 espécimes e 94 morfoespécies no Cerradão. Os índices de riqueza, diversidade e equitabilidade foram semelhantes entre as duas fitofisionomias. As duas fitofisionomias apresentaram a maioria das morfoespécies de abundância rara, ocorrência acidental e baixa frequência. Os macrolepidoptera foram negativamente influenciados pela distribuição de chuvas e pela umidade relativa do ar. Macrolepidoptera foram mais abundantes na estação seca e microlepidoptera na estação chuvosa.

Palavras-chave


Cerradão; cerrado “sensu stricto”; mariposas; entomofauna; sazonalidade; biodiversidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/1982.2278.1638