EPIDEMIOLOGIA E MANEJO DO MOFO CINZENTO DA MAMONA

Wanderson Bucker MORAES, Waldir Cintra de JESUS JUNIOR, Willian Bucker MORAES, Marcelo Antonio TOMAZ, Antônio Fernando de SOUZA, José Francisco Teixeira do AMARAL, Leonardo de Azevedo PEIXOTO

Resumo


A cultura da mamona tem demonstrado grande importância para produção de biodiesel, principalmente pela qualidade de seu óleo e por não competir com a alimentação humana. O cultivo da mamona está sujeito ao ataque de inúmeros patógenos, dentre os quais, destaca-se o mofo cinzento causado por Amphobotrys ricini. Este afeta as inflorescências, os cachos e as sementes, reduzindo assim a produção e o teor de óleo nos frutos. As condições climáticas favoráveis para ocorrência do mofo cinzento no Brasil e a intensificação do cultivo da mamona, com a introdução de cultivares altamente produtivas, tem contribuído para o aumento dos danos causados por esta doença. O controle do mofo cinzento tem como base a utilização de medidas preventivas, uma vez que medidas curativas não são eficazes ou até o momento estão indisponíveis. O uso de cultivares resistentes, sementes sadias, rotação de culturas, eliminação de restos culturais, tratamento químico das sementes são algumas das medidas que podem ser empregadas no manejo da A. ricini. Contudo, mais estudos devem ser realizados para o entendimento do patossistema mamona - A. ricini a fim de auxiliar o desenvolvimento e a incorporação de novas técnicas de manejo para esta doença, bem como aprimorar as existentes.

Palavras-chave


Ricinus communis, Amphobotrys ricini, epidemiologia, manejo integrado de doença.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3738/nucleus.v8i2.556