CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICAS DA RÚCULA CV. CULTIVADA PRODUZIDA NO SISTEMA CONVENCIONAL E NO BABY LEAF.

Ricardo Lima Vasconcelos, Maristella de Paula Nunes Freitas, Maria Amália Brunini

Resumo


O objetivo deste trabalho foi estudar algumas características físico-químicas e organolépticas da rúcula cv. “Cultivada” produzida no sistema Baby Leaf e convencional. O experimento foi instalado em área experimental da Faculdade “Dr. Francisco Maeda”, situada em Ituverava/SP, durante o período de 14 de Novembro a 21 de Dezembro de 2007. O delineamento estatístico foi o DBC, com dois tratamentos e 15 repetições, e as características avaliadas foram: pH, sólidos solúveis, acidez, cor, aroma, textura, impressão global e minerais (P, K, Ca, Mg, S, Cu, Fe, Mn e Zn). Através dos resultados obtidos e nas condições em que o estudo foi realizado pode-se concluir que a rúcula produzida no sistema Baby Leaf apresentou maiores teores de ferro, magnésio, potássio, enxofre e fósforo em relação à rúcula cultivada no sistema convencional e que a colheita antecipada da rúcula (sistema Baby Leaf) não interferiu nas qualidades organolépticas; em relação à acidez titulável, sólidos solúveis e pH pode-se verificar que o tipo de sistema de cultivo interferiu nesses parâmetros.

Palavras-chave


Eruca sativa L; Sistemas de cultivo; Baby Leaf; Qualidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3738/nucleus.v8i2.607